Nutrição Animal

Microalgas e Nutrição Animal

A inclusão de farinhas e óleos de microalgas em rações para aves, suínos e ruminantes desperta o interesse da indústria em geral e a Algae Biotecnologia trabalha ativamente para tornar este potencial uma realidade. Em recente evento realizado em São Paulo, a empresa reuniu especialistas para o debate da situação atual e perspectivas neste setor.

Substituição de Óleo e Farinha de Peixes na Aquicultura e Carcinicultura

Gastos com ração no setor aquícola representam entre 60 a 70% dos custos de produção; entre 70 a 90% correspondem aos custos com fontes proteicas e lipídicas como óleo e farinha de peixe. Estes ingredientes são matérias primas cada vez mais escassas, provenientes de atividade exploratória (pesca de sardinhas) e com impacto ambiental negativo.

A Algae Biotecnologia acredita no potencial de utilização de óleo, farinhas e pastas de microalgas como aditivos ou ainda em substituição às fontes de proteínas e ácidos graxos na dieta animal; esta é tendência que já começa a ser observada na Europa e principais produtores de pescados no Sudeste Asiático. Um projeto de pesquisa sobre inclusão de farinha de microalgas na alimentação de camarões brancos do Pacífico (L. vannamei) está em execução, junto ao Instituto de Ciências do Mar (Labomar) da Universidade Federal do Ceará.